sábado, 4 de outubro de 2008

Quanto mais eu rezo.....


Outro dia, recebi em casa um entregador de encomendas.

Tranquei a fera, pra não arrancar nenhum pedaço do moço e abri a porta. Percebi que não se tratava de uma pessoa normal quando ao ouvir os latidos da Dolores, ele pediu: "Pó soltá, tenho uma coisa cum bicho...".

Eu que não estava afim de conversa, fingi que não ouvi.

"Ô cê se incomoda em me dizê o que aconteceu pro cê ficá assim?"

"Acidente!", respondi.

"Óia, cê vai levantá! Só nêgo ruim que num levanta!!"

Porra, na hora até procurei uma câmera, pra ver se não era alguma pegadinha.

Tudo isso acontece porque não saio muito de casa, hein!!

9 comentários:

Jady disse...

milhares de pessoas sao ruins ! hehe

bjks,bom FDS.

Anônimo disse...

Quando isso acontece comigo, digo que tenho fé que meu guia, o oxosse "obundêdê" já está me ajudando. Mas pra isso ocorrer tenho que levar ao centro 3 novos frequentadores. E pergunto se ele não gostaria de ir. O cara não voltará nunca mais !

Jairo disse...

Acho que essas coisas só vão parar de acontecer quando, justamente, a gente tomar coragem e sair mais de casa. É difícil, sim. É trabalhoso pra caramba, mas é a única forma de mostrar que a gente existe! De qquer forma, vc perdeu a oportunidade de alimentar sua cadela, né? ahahahahha..

Gisele disse...

A ração anda tão cara...
Bjim,

Glória Maria disse...

Af, nem pra alimentar sua cadela ele serve. Mas vc falou uma verdade, tem que mostrar que existe, passeia, namora, enfim, que VIVE!
Beijos

EVANDRO disse...

Não é que não saio de casa. Apenas saio menos, pois é aqui que trabalho tbm.

advogadovoador disse...

Hahaha, realmente é uma "meleca" essas figuras...como já falei certa vez, existe algumas religiões que afirmam que nós cadeirantes estamos possuídos...o negócio é rir pra não chorar...Infelismente existe muita ignorância neste mundo. Cabe à nós situar essas figuras, como seu visitante que acha que somos ou estamos com algo ruim. www.gaadin.org.br a gente não anda mas a gente voa!! abraços!

Rodrigo Almeida disse...

Evandrão, eu acho muito esquisita essa forma da sociedade encarar a deficiência como a pior coisa do mundo. Ela impõe suas restrições, mas não é uma prisão. Vamos ver quando a mentalidade da sociedade vai mudar...abraço.

Jady disse...

o Rafael é um menino q eu conheci no sarah.
Pode publicar sim

bjks