segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Eu quero chutar...


Outro dia o meu amigo Jairo "da Folha" escreveu sobre a AACD.
Sempre simpatizei com essa instituição, é emocionante ver o que fazem com as criancinhas "malacabadinhas", isso é fato!
Mas tenho que expor o que me aconteceu quando "visitei" essa casa.
Fazia apenas 40 dias que tinha sofrido o acidente, estava BEM malacabado. Não tínhamos orientação alguma. E como disse antes, saí do hospital sem o manual do paraplégico.
Algumas pessoas falaram do Sarah (eu nunca tinha ouvido falar) e outros falaram da AACD. Não pensei duas vezes, fomos atrás do que nos era mais familiar.
Minha mãe conseguiu uma ambulância da prefeitura para me levar. Nessa época mal ficava sentado. Que viagem de merda!! E bota merda nisso....de Jacareí à Sampa são apenas 75KM, mas sair de casa pela primeira vez e numa ambulância.... Um frio de bater queixo. Mas o pior estava por vir.
Fui atendido por um F.D.P de um fisiatra (me desculpem, não consigo achar outro adjetivo para essa pessoa) que conseguiu acabar com o pouco de esperança que me nutria naqueles dias terríveis. "Ponha um negócio na sua cabeça, você não andará mais!", engoli seco, olhei pra minha mulher pra ver se ela me tirava dali... "Doutor, não pode acontecer dos meus neurônios encontrarem um conexão perdida?" indaguei. "Não, e se você não se acostumar a passar sonda de alívio (para esvaziar a bexiga) de 4 em 4 horas, vai perder os rins!", concluiu o delicado profissional. Acho que em um hospital veterinário eu seria melhor tratado.
Com certeza, se alguém me emprestasse um revólver naquele dia, eu daria cabo da minha vida.
Como pode uma pessoa tratar assim alguém que está no limite do desespero? Que direito esse homem tem de podar as esperanças de alguém que está no chão, tentando levantar a cabeça?
Mas graças a Deus, tenho uma família que nunca me deixou pra baixo, sacudimos a poeira e estamos aí.
Fico pensando numa pessoa um pouco menos instruída e com alguma chance em reverter seu quadro, perde-se tudo ali com aquele fisiatra.
Mas que um dia eu volto pra chutar aquele bundão, eu volto!!

9 comentários:

João Vicente Lavieri disse...

A medicina evolui a passos largos.

Há anos atrás ninguém imaginava que Homem, um dia, faria o sequenciamento genético de uma espécie, criaria o clone de uma ovelha ou desenvolveria tecidos humanos em laboratório, a partir de células troncos.

Voltando ainda mais no tempo, fecundação in vitro, hoje tão comum, já foi algo impensável.

Então, acredito que em alguns anos a proficia se cumpra, e você volte para chutar o tal Bundão.

Gisele disse...

Concordo com você, querido.
Há mil jeitos mais sensíveis de se informar alguém que, em uma primeira avaliação, as chances de caminhar são mínimas.
Quanto à bexiga, nem todos os paraplégicos precisam de cateterismo vesical intermitente, isso não é regra nenhuma.
Prá finalizar, na Medicina e no amor não existe SEMPRE e nem NUNCA.
Isso sim é que é regra.
Bjks,

Anônimo disse...

Bom dia, amigo!!

Se o profissional que você menciona em seu texto se trata do Dr. Marcelo, realmente esse cara é o retrato da escória da humanidade. Melhor dizendo, pra virar cocô, ainda teria que melhorar muito.

Jairo disse...

Nem sei o que escrever, meu brodi. Prefiro pensar que esse "médico" é uma exceção e vai ser expurgado da medicina mais dia ou menos dia. E me chama no dia que for chutar a bunda do canalha... eu ajudo. Abraço

Eduardo Camara disse...

Acho que tive sorte, pois nenhum médico até hoje disse que eu não ia voltar a andar. Nem que eu ia. Sempre fui muito consciente da minha condição, talvez por meu pai ser neurologista, e confesso que me senti confortável mesmo quando uma residente da ABBR disse que não sabia se eu ia voltar a andar, mas que iam me reabilitar. Adorei aquilo!

Sonia Boni disse...

Na medicina, como em qualquer outro segmento, hoje é assim, amanhã é assado. Ninguém tem bola de cristal num campo onde a ciência tem alcançado progressos incríveis!
Esqueça esse médico e olhe pra frente, que o futuro pode estar lhe reservando boas surpresas.

Fernanda Pereira disse...

Me chama pra chutar tbem?!

advogadovoador disse...

Pois é meu amigo, no meu caso o médico virou pra minha esposa e disse que era desperdício de material, pois eu nunca iria voltar a andar, quem sabe poderia sentar...é mole... Hoje com orteses consigo preambular de vez em quando afim somente deexercicios, não tendo muita funcionalidade, mas fiz questão de voltar e mostrar pro fdp... Se vamos voltar a andar ou não, não cabe a nenhum médico essa afirmação, temos que manter a fé e esperança sim e viver o hoje com qualidade e ser feliz...abraços.

silvia dutra disse...

Que horror esse médico. Quando você voltar pra chutar me chama que tambem quero ir.
Beijo