quinta-feira, 17 de julho de 2008

Como se mede a fé?


Logo que sofri o acidente, começamos a receber em casa tudo que é tipo de visita religiosa. As pessoas nos visitavam com a "maior das boas intenções". Tinha evangélicos fervorosos, macumbeiros de plantão, espíritas e budistas com os seus "carmas", e os católicos com os seus santinhos disso e daquilo. Só não apareceu mulçumano com o seu Alcorão.
Estava numa cama hospitalar, todo fudido, mal conseguia mexer o pescoço, praticamente um alvo fixo.
Certa vez chegou de surpresa uma vizinha no meu quarto:" __Olha quem veio te ver...". Eu meio atordoado com a surpresa ainda perguntei: __Quem?.__Ela! disse a vizinha. __Ela quem?, eu ficando puto. __Não tá vendo não? Ela! disse a vizinha mais empolgada ainda. Aí pude perceber que ela carregava uma imagem de Nossa Senhora numa caixinha.
Um pastor disse que eu levantaria em 120 dias (pior que fiquei contando nos dedos).
Outra coisa que escutei, é: "__Você tem que ir na minha igreja, outro dia o rapaz levantou da cadeira lá em Piraporinha da Vírgula".
Ou outra:"__Você tem que se apegar mais em Deus!"
Que mania que as pessoas têm de enfiar suas religiões na goela alheia. Que saco isso! Não sou um leitor assíduo da Bíblia, mas já dei umas olhadas. Lembro de uma frase mais ou menos assim, "...se você ficar parado numa garagem não se transformará em um carro". Então!
Mas o pior é quando dão a entender que estou assim porque não tenho fé.
Não existe o bafômetro, termômetro e o tacômetro?
Deveriam inventar o FEZÔMETRO!

10 comentários:

Anônimo disse...

aêêêê... post campeão!!!! Bom pacarai.com.br . Abraço..

Jairo Marques
http://assimcomovoce.folha.blog.uol.com.br

Fernanda disse...

A medida certa da fé é a fé sem medidas!!

Também detesto quando me empurram goela a baixo uma nova lenga lenga religiosa e que seempre é milagrosa, né?...

A gente tem que ter fé e acreditar naquilo que a gente quer e fim...seja num pedaço de pano, num pensamento positivo ou numa luz além da vidraça...

Anônimo disse...

Oi kiko...Tudo bem?

Anônimo disse...

As visitas que você recebeu,de-
monstraram que é muito querido e que as pessoas independentemente de religião se importa com você!!!
Pense nisso...

Gisele disse...

Eita, que hoje gostei do post, fio!!!
Fé demais, fé de menos... e por aí vai....

Sonia disse...

Bom demais seu post!!! Seu humor caústico está cada dia melhor. rsrs
Adoro vir aqui.
Tenho sempre uma resposta na ponta da língua para esse tipo de assédio consolatório. Faz efeito imediato e me devolve o sossego:
"Cada um sabe o tamanho da sua dor!"

Jady disse...

oi

legal seu post

ei eu posso coloca o link do seu blog no meu ?

bjs

Fernanda Pereira disse...

linkei vc viu?!

:D

bjs

Eduardo disse...

Eu tenho medo de passar em frente de uma Igreja Universal. Vai que o cara me derruba da cadeira pra eu voltar a andar! E pior: se eu não sair caminhando, ainda vai me sentar a porrada pra tirar o exu do corpo!

silvia dutra disse...

Esse povo é dose mesmo né? Minha mãe tinha acabado de fazer uma mastectomia radical, estava no hospital toda ferrada coitada, cheia de dores, mutilada, mais triste que passarinho molhado que caiu do ninho sem poder voltar e de repente tem o quarto invadido por um casal de crentes, com a Biblia na mão e o discurso de praxe. Baixou a doida em mim, virei Mussolini na varanda, fiz um discurso inflamado com o desrespeito deles e botei os dois porta afora. Vão se catar, gente mais irritante. Só valeu porque depois eu e minha mãe ríamos feito duas malucas.E sobrou a história.