segunda-feira, 11 de agosto de 2008

São 2 pra lá e 2 pra cá.


Tem coisas que realmente não combinam. Camarão e feijão; Corinthians e Palmeiras; Eu e trabalho....
Mas se tem uma coisa que não foi feito pra outra é o Terno e a Cadeira de Rodas. P.Q.Pariu!
Após três anos em companhia da minha cadeira, não deu pra escapar! Minha cunhada mais nova se casou nesse fim de semana.
Tentem visualizar o Didi Mocó nos anos 80, então, era eu. A cada toque na cadeira o paletó subia e meu pescoço desaparecia. Sem contar que a parte de baixo enroscava no aro de impulsão. O negócio era ficar quietinho num canto, tipo samambaia.
Os noivos no meio do salão para iniciarem a tão esperada valsa. E eu lá na minha mesa já nos comes e bebes e bebes e bebes....Mas toda festa tem um primo empolgado, né? O cara me viu e me arrastou até o meio do salão.
Foi aí que descobri que cadeirante também dança. Puxei minha mulher para o meu colo e dançamos a valsa toda. Infelizmente, chamamos mais a atenção que os noivos nesse momento.
Dançar também é um programa legal.
Vivendo e aprendendo!

11 comentários:

Gisele disse...

Putz, quero saber o resto, home...
Quando tava ficando bão vc parou de contar!!!!
Conte mais detalhes sórdidos, tá?

Jady disse...

pois zeh, alguem em cadeira de rodas fazendo qlqr coisa "mirabolante" para andantes e uma artista em shopping, as pessoas preferem olhar o cadeirante hehe

Fernanda Pereira disse...

Como diz o Jairo, daaaança, claaaro que dança!!!!

RAfae disse...

rsrsr nao concordo com tudo, acho que você nunca tomou caldo de feijao com camarão, mas de resto muito engracado os bebes, e bebes huashusahusauhu...

Anônimo disse...

Emplacou na fooooolha, heim, kapião!? Parabéns e um abraço

Jairo
http://assimcomovoce.folha.blog.uol.com.br

Anônimo disse...

Ofuscar a noiva no casório é de lascar,em?!!

Adorei como sempre!!!

Até...

Su disse...

Ofuscar a noiva no casório é de lascar,em?!!

Adorei como sempre!!!

Até...

Como vc pode perceber isso aqui ficou moderno demais para quem tem um blog desde 2002! rs rs rs

Anônimo disse...

Seu blog esta cada vez melhor!

Beijao

Carol

Treinos: disse...

Cara, já me senti um Didi Moco por varias vezes enfiado a força dentro de um terno, obrigado pela ocasião ou pela minha mulher, rsrs, realmente no primeiro momento vc se sente ridiculo isso sem falar na gravata que parece que tem o dobro do tamanho da gravata de quem fica em pé.
Mas, parece que a gente acostuma com muita coisa, estou até pensando em comprar um terno que vi na promoção pelo menos tendo um no guarda-roupas posso ir me acostumando com a idéia e quando tiver que usar estarei mais conformado.
Sobre dançar na cadeira de rodas é uma experiência muito louca o unico problema é que chamamos muito a atenção, imagina eu e minha mulher então um aleijado e uma cega no meio do salão dançando, tem gente que até chora, rsrs "EXEMPLO DE SUPERAÇÃO", logico que a iniciativa nunca é nossa e como você eu tambem tenho primos malas que me empurra pro meio da pista de dança onde os dançarinos passam a ser expectadores.
Bom, mas depois que passa pensamos: Puts foi muito bom...

Anônimo disse...

Cara muito bommmmmmmmmmmm..rs..rs..

Sandro & Claudia rs.rs.rs......

Eduardo disse...

Realmente não tem jeito. Eu tinha pena de um conhecido que tinha que trabalhar de terno e cadeira. Agora, pra piorar, imagina o sujeito de terno, cadeira e o calor de 40 graus no centro do Rio. Aquilo era maldade...

E foi engraçado vc falar isso. Lembro que a primeira vez em que dancei até me acabar na cadeira foi em um casamento. Creio que embalado pelos amigos e pela birita. Mas o legal é que, depois da primeira vez, as outras são muito mais fáceis!

Ah, tem uma empresa que fabrica ternos para cadeirantes. Acho que o nome é Rolli Moden ou algo assim. Abraços!