segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Uma semana melancólica.

Apesar de me considerar uma pessoa bem humorada e sempre de alto astral, não tem como não me sentir melancólico e um pouco triste nessa semana.

Está fazendo 4 anos que me acidentei.
4 anos de mudanças físicas (20 quilos a mais na conta) e sentimentais.
4 anos sem sentir a areia da praia nos meus pés.
4 anos sem o meu futvolei.
4 anos sem correr com a Dolores.
4 anos....

No início dessa mudança achava que não aguentaria o tranco.
E lá se vão 4 anos...mas tô aqui, um pouco triste, mas pronto pra mais 4.


"mudaram as estações,nada mudou...
...que tudo era pra sempre, sem saber, que o 'pra sempre', sempre acaba...."


Semana que vem eu volto menos chato!

19 comentários:

Cybelle Varonos disse...

Meu lindo, quatro anos que vc teve uma segunda chance, de se conhecer, conhecer pessoas que tb lutam pela superação todos os dias!!!
Pense sempre, que Deus só marca as melhores ovelhas, e vc é muito especial.....
Bjokas

EVANDRO disse...

Com certeza Cybelle, vc é uma delas.
Beijão

Sam disse...

Cara, coincidência, dia 24 de julho fez três anos do meu acidente. Mas não fiquei pra baixo não, no dia alguém até me perguntou há quanto tempo foi, e eu disse que estava comemorando 3 anos. Como disse a Cybelle, comemorando a segunda chance. Muito melhor do que alguém lembrar de você na data é vc poder contar: to vivo!! E bola pra frente!!!

Lak disse...

Então o que você sente, porque pra mim, já são 22 anos. É como se a gente morresse e renascesse de novo, mas com a mesma consciência, a mesma essência, os mesmos medos, as mesmas dores, o mundo é que muda de ótica... Duas vidas numa só. Doi? Doi muito... A gente perde muitas coisas. Mas sabe? Também ganha outras e, acredito que, mesmo que a gente jamais compreenda, tudo tem um porquê, nada disso é em vão...
Permita-se sentir o pesar, mas não desanime, porque não vale a pena, a vida continua...
Mesmo que não a mesma que se tinha antes.
Beijinhos

Mamis disse...

Olha, eu não sou deficiente, mas tenho uma deficiência no pé, eu tenho pé caído, sem movimento, não me impediu de nada, eu dirijo e até corro, feito uma pata, mas corro. Tive que me adaptar, só uso tênis, não posso com sandálias e saltos altos. Eu tinha doze anos apenas e marcou minha vida, 6 meses sem andar, uma bela cicatriz e 7 cirurgias para não perder a perna, até hoje eu fico angustiada no dia do aniversário de acidente.

ZEH Caderudo disse...

Cara, dia 16 de maio também fez 4 anos do meu acidente, 5 dias antes do meu aniversário. Eu até queria fazer um churrasco dia 16 e outro dia 21. Falava q tava fazendo aniversário d 4 aninhos dia 16... falava q tinha nascido dinovo e por isso merecia o churrasco...e dia 21 falava q tinha q faze festa pelos meus 20 anos.

Abraço forte!

EVANDRO disse...

Zeh, olhando por esse lado....
Vou seguir seu conselho. FESTA!!!

Abração pra vcs aí!!

Glória Maria disse...

Evandro, o "pra sempre, sempre acaba", mas muitas alegrias ainda virão.
Em todos os "aniversários" do seu acidente, comemore a VIDA!!!!

Beijos carinhosos

EVANDRO disse...

É isso aí Gloria!
Será que para afastar o Bode serve carneiro???
Vou fazer um CHURRAS!!!

aldrey disse...

Evandro e eu to a 18 anos na cadeira,bola pra frente,de vez enquando da um repé,mas vamos comemorara vida!!bjs

Silvia Dutra / Sinhá disse...

Também ando me sentindo triste, por motivos completamente diferentes dos seus, mas como diz o Guimarães Rosa ...." O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e desinquieta. O que ela quer da gente é coragem".

Coragem Evandro. Você aí e eu aqui, temos que continuar tendo coragem. E quando fizer o churrasco dê um naco de carne gostosa pra Dolores e diz que eu que mandei. Beijo pra você e afago nela.

Aline Gouvea disse...

Vc me comoveu. Obrigada por, de uma certa forma, me fazer enxergar as coisas que eu tenho, que eu posso fazer e mesmo assim sou uma chata reclamona.

Flávia disse...

Oi Evandro! Bom, primeiro parabéns por vc estar vivo! Sempre leio o blog mas nunca comento pq leio do trabalho e lá não tem acesso a esta pagina. Mas com este post senti que havia um motivo mto nobre pra comentar. Em agosto, precisamente dia 08 de agosto de 2004, eu tb recomecei uma vida nova, só que minha vida foi sem as pessoas que eu mais amo no mundo! Minha mãe, meu irmão e meu tio, deficiente, morreram num acidente de carro. E eu de uma certa forma tb tive que reaprender a viver, a fazer coisas, a ter sentimentos, a seguir em frente... Confesso que ainda, até hj, não aprendi direito, pq minha relação com tudo é mto afetada, com meu filho, com o pai do meu filho, com meu pai, enfim... Coisas que não há palavras suficentes pra explicar e só quem vive sabe. Muita gente, vc não tem noção de quantas, me disseram que foi melhor eles terem ido do que terem ficado aqui com alguma sequela! Mas eu tenho certeza que não foi!! Daria tudo pra te-los aqui do jeito que fosse, pro meu filho poder sentir e receber o amor deles... Portanto, é com grande conhecimento de causa que eu te digo: PARABÉNS pela sua vida, parabéns pra sua mãe por poder ter vc ainda, parabéns pra sua esposa, parabéns pros seus filhos que Deus há de mandar por poderem sentir o amor do pai deles! A vida as vezes é mto dificil mas temos que ver o lado bom e sempre agradecer a Deus! É isso, Deus te abençoe (ahhh e que o emprego venha, mesmo que não seja aqui na Chemtech, vai dar tudo certo pra ti!) Beijinhos.

EVANDRO disse...

Flavia, muito obrigado pelas palavras. Sempre agradeço a Deus.
As vezes me permito alguns minutos de tristeza, pois são neles que aprendo e percebo que fui agraciado.
Beijão

Marli Cassiano disse...

Olá Evandro,

Passei mais de um mês sem escrever, pois também estava "num estado mental de piração absoluta". E olha que pareço ser uma pessoa absolutamente resolvida.
Foi difícil eu concluir que a piração tinha começado depois do novo diagnóstico, que determina uma progressão "mais lenta" do que eu projetava.
Cara, isso significa mais tempo de vida - aí a loucura veio de imaginar ficar mais tempo na cadeira, o corpo ir parando aos poucos, parar de trabalhar. Tudo contrário ao que eu estava preparada.
Qualquer pessoa ficaria feliz e hoje eu já sinto essa alegria. Mas passei um tempo longo para assumir essa nova realidade que se abre para mim e comecei a fazer planos, novas metas, objetivos de longo prazo.
É fácil quem está de fora falar - você deveria estar feliz!
O difícil é explicar que 70% dos seus neurotransmissores não estão funcionando e que até o dedinho dói se apertar de leve.
To abrindo meu coração para lhe dizer que apesar de muitos me acharem "super", também fico contando os dias, os 10 anos de perdas que estou vivendo.
Mas tenho que terminar lembrando que todo dia à noite, depois do trabalho, pego aquele grão de mostarda que restou e me recarrego de energia na única fonte que conheço - Deus.

Ainda bem que podemos sentir, nos emocionar, por para fora. Somos muitos, com os mesmos sentimentos e temos nossos anjos - nossa família, os amigos e agora as pessoas especiais que estou tendo a oportunidade de conhecer, como você.
Vi suas fotos antigas, você era um lindão mesmo. Hoje você é mais, pois além de tudo a sua alma aprendeu a ser linda - aprendeu a valorizar cada momento, cada pegada na areia que já deu, cada passeio com os amigos, a ter uma esposa do lado, super companheira -isso acontece com a gente.

Sempre repito essa frase de Madre Teresa: "Sei que Deus não me dará nada que eu não possa lidar. Apenas gostaria que Ele não confiasse tanto em mim".

E com isso, depois dos pensamentos tristes, acabo sentindo uma força tão grande e só posso agradecer essa prorrogação por tempo indeterminado que Deus me deu, com certeza porque eu devo ser muito especial, e Ele deve estar querendo que eu faça mais alguma coisa. Então, bora pra vida, com cadeira e tudo!

Beijos no coração e continuo com a falação sobre o que está sentindo no meu blog, um texto que você já leu http://otempoqueexisteemnos.blogspot.com/2009/05/ultrapassando-as-perdas.html

Marli

Jairo disse...

Depois conta pra gente o que houve de bom nesses quatro anos! ;) abrasss

Juliana Carvalho disse...

Quase morro chorando toda vez que escuto essa música...

Tabs! ;) disse...

Aff.. Tá chato mesmo! Porra são 4 anos de vida, afinal, nasceu de novo!
Eu farei 9 no próximo reveillon e o meu brinde será a vida e todas as oportunidades que ela me dá, agradeço a todas as pessoas 100-sacionais que conheci nessa trajetória!
Pára de chorar Evandro que ninguém gosta de quem fica se lamentando, a vida não é fácil pra ninguém, muita gente tem histórias de superação que não são visíveis, a nossa é pq não tem como esconder a cadeira, porém, cabe a cada um decidir que caminho seguir,o da lamentação ou o da atitude! Eu escolhi o meu e vc???
Beijokassssssssssss!!

EVANDRO disse...

É Tabs, acredito que vc não venha com tanta frequencia a esse espaço. Não estou chorando, não estou me fazendo de vítima e nem de coitado. Realmente, com a cadeira conheci pessoas lindas, sensacionais e principalmente humanas de verdade. Mas a cadeira não modificou uma coisa em mim, a verdade. Uso esse espaço para falar de mim, para rir de mim, enfim...tento da minha maneira, colocar o que sinto. E se um dia minha cabeça doi, não quer dizer que sou doente....