sábado, 9 de fevereiro de 2008

Indulto


Não posso reclamar da minha vida. Principalmente depois que estive no hospital Sarah, em Brasília. Tenho os meus braços funcionando, cabeça, tenho família, mulher e amigos.


Mas viver preso numa cadeira de rodas, privado da liberdade para fazer uma série de coisas, não é certo.


Ontem assisti um filme no cinema, em que o protagonista, após um tempo preso, recebe o indulto de natal e vai passear em Ipanema e Arpoador. Lugar para quem não sabe, vivi os melhores momentos da minha vida. Pude lembrar até do cheiro do bairro e sentir os respingos das ondas que sentia todas as manhãs quando levava meu cachorro para passear.


QUERO MEU INDULTO, nem que seja por uma manhã!

3 comentários:

Aléthia disse...

Oiii.....conhece a Fabiola e foi atraves dela que fiquei sabendo do seu blog,desde então todos os dias eu entro nele para ler os seu s textos,espero que continue escrevendo!!!Seu blog é muito bom!!Um Abraço.

Doushura disse...

I read this article
here

Tabata disse...

"preso a uma cadeira de rodas" que horror!!!
A cdeira não prende, pelo contrário, ela liberta, já pensou se ela não existisse???
Teriam que arrumar um jeito da gente flutuar!!! hahahahahaha

Bjoks!!!!